Odontologia



Os avanços no tratamento do diabetes mellitus têm permitido uma maior e melhor sobrevida aos pacientes. Em Odontologia, medidas preventivas contra doenças bucais e novas técnicas restauradoras têm propiciado a manutenção prolongada dos dentes. Assim, vêm aumentando o número de portadores de diabetes mellitus que procuram o tratamento odontológico de rotina e a participação do cirurgião-dentista no diagnóstico e tratamento de manifestações orais dessa patologia.



As manifestações bucais encontradas com maior frequência em portadores de diabetes mellitus são: doenças periodontais, consistem na perda de estrutura óssea causando a mobilidade e até a perda dos dentes; a disfunção de glândulas salivares; infecções fúngicas, alteração no paladar, além da maior incidência de infecções e retardo na cicatrização.



Existe uma maior incidência de doenças periodontais relacionadas ao diabetes mellitus. A maior severidade ocorre em pacientes com diabetes tipo 1 e 2 que apresentam fraco controle metabólico.


Tanto o diabetes como a periodontite estimulam a liberação crônica de citocinas prejudicando os tecidos periodontais.




A disfunção salivar mais comum é a xerostomia - “ boca seca”- apontada por 54% dos pacientes acometidos por diabetes mellitus tipo 2. Além do desconforto causado ao paciente, pode contribuir para o aparecimento de lesões cariosas. Também podem ocorrer úlceras, descamação da mucosa, língua despapilada (alteração do paladar) e infecções como a candidíase oral, que é maior em diabéticos, provavelmente devido a xerostomia e aos níveis de glicose salivar.
Para os pacientes com níveis de glicemia acima do ideal o tratamento odontológico é indicado somente em situações de urgência, na presença de dor e infecções. A ansiedade e o medo provocados pelo tratamento odontológico devem ser controlados, pois levam à liberação de adrenalina, causando aumento ainda maior na glicemia. Assim para evitar maiores complicações é recomendado o uso de algum método de sedação consciente. Em alguns pacientes, durante o tratamento odontológico é necessário o uso de anestésico locais, analgésicos, antiinflamatórios e a terapêutica antimicrobiana. Para isso, a prescrição dessas medicações deve ser criteriosa, sendo necessário entrar em contato com o médico responsável para ajustar a posologia, evitando possíveis interações medicamentosas indesejáveis, efeitos hipoglicemiantes, mal-estar, etc.




Existe uma ligação entre as doenças gengivais e diabetes?

    Dos 21 milhões de americanos que têm diabetes, muitos podem ficar surpresos com uma inesperada complicação associada com esta condição. 1Pesquisas sugerem que há uma prevalência aumentada de doenças gengivais (gengivite e periodontite) dentre aqueles com diabetes, somando as doenças gengivais a uma lista de outras complicações associadas com diabetes, tais como doenças cardíacas, acidentes vasculares encefálicos isquêmicos (derrame cerebral) e doenças renais.3



    Existe uma via de mão dupla?

    Pesquisas recentes sugerem que a relação entre doenças gengivais e diabetes é uma via de mão dupla.4 Não somente as pessoas com diabetes são suscetíveis às doenças gengivais, mas esta pode ter o potencial de afetar o controle glicêmico no sangue e contribuir para a progressão do diabetes. Pesquisas sugerem que pessoas com diabetes têm alto risco de adquirirem problemas bucais, tais como gengivite (um estágio inicial de doença gengival) e periodontite (doença gengival avançada com perdas ósseas)5,6 Pessoas com diabetes têm um risco aumentado para doenças gengivais avançadas porque os diabéticos são geralmente mais suscetíveis às infecções bacterianas, e têm uma diminuição na capacidade de combater as bactérias que invadem o tecido gengival.

    O Surgeon General´s Report on Oral Health afirma que uma boa saúde bucal é parte integrante da saúde geral.7 Por isso, escove os dentes, use fio dental e enxaguatório bucal e consulte o dentista regularmente.8A.



    Por ser diabético a pessoa corre um risco maior de ter problemas com os dentes?

    Se seus níveis de glicose no sangue não forem bem controlados, o diabético tem maior chance de desenvolver doença gengival avançada e de perder dentes quando comparado a pessoas que não têm diabetes.9 Como todas as infecções, a doença gengival pode ser um fator que eleva o açúcar do sangue e pode tornar o controle do diabetes mais difícil.4

    Outros problemas bucais relacionados com diabetes são: candidíase (sapinho - uma infecção causada por um fungo que cresce na boca), boca seca que pode causar aftas, úlceras, infecções e cáries.10



    Como evitar problemas dentários associados ao diabetes?

    Em primeiro lugar, o mais importante é controlar o nível de glicose no sangue. Em seguida, cuide bem dos dentes e gengiva e faça exames minuciosos a cada seis meses. 98 Para controlar as infecções por fungo, controle bem seu diabetes, procure não fumar e, se usar dentadura, remova-a e limpe-a diariamente. 98 O controle adequado da glicose do sangue também ajuda a evitar ou aliviar a boca seca causada pelo diabetes. 10



    O que posso esperar das minhas consultas com o dentista? Devo contar a ele que tenho diabete?

    As pessoas que têm diabetes necessitam de cuidados especiais e do preparo do seu dentista para ajudá-lo.9Mantenha seu dentista informado sobre qualquer alteração em seu estado de saúde e sobre os medicamentos que estiver tomando.9 Exceto em caso de emergência, não se submeta a qualquer procedimento dentário se o açúcar no sangue não estiver bem controlado.9



    Referências

    1 American Diabetes Association. Total Prevalence of Diabetes and Pre-Diabetes. Available at http://www.diabetes.org/diabetes-statistics/ prevalence.jsp. Accessed February 29, 2008.

    2 American Diabetes Association. Complications of Diabetes in the United States. Available at http://www.diabetes.org/diabetes-statistics/complications.jsp. Accessed February 20, 2008.

    3 American Diabetes Association. Type 2 Diabetes Complications. Available at http:www.diabetes.org/type-2-diabetes/complications.jsp. Accessed August 29, 2007.

    4 Mealey, BL. Periodontal disease and diabetes: A two-way street. Journal of the American Dental Association. October 2006.

    5 American Academy of Periodontology: Periodontal (Gum) Diseases Available at http://www.perio.org/consumer/2a.html. Accessed January 10, 2008.

    6 Garcia RI, Henshaw MM, and Krall EA. Relationship between periodontal disease and systemic health. Periodontology 2000. 2001;25:21-36.

    7 National Institutes of Health. Oral Health in America: A Report of the Surgeon General. Available at: http://www2.nidcr.nih.gov/sgr/sgrohweb/welcome.htm. Accessed March 12, 2008.

    8 American Dental Association. Cleaning Your Teeth and Gums. Available at http://ada.org/public/topics/cleaning.asp. Accessed December 12, 2007.

    9 National Institutes of Health. Prevent Diabetes Problems – Keep your teeth and gums healthy. Available at: http://diabetes.niddk.nih.gov/dm/pubs/ complications_teeth/index.htm. Accessed March 18, 2008.

    10 National Institutes of Health. Diabetes: Dental Tips. Available at: http://www.nidcr.nih.gov/HealthInformation/ DiseasesAndConditions/DiabetesAndOralHealth/ DiabetesDentalTips.htm. Accessed March 18, 2008.



                  Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.